David Hertz, fundador da Gastromotiva é condecorado com o Prêmio Charles Bronfman de 2019

O chef empreendedor social brasileiro David Hertz foi condecorado com o Prêmio Charles Bronfman em 2019. David foi pioneiro ao criar uma maneira de usar a gastronomia para transformar a vida de pessoas em vulnerabilidade socioeconômica. Ele é o co-fundador da Gastromotiva, uma organização social brasileira que oferece educação gratuita e oportunidades usando a comida – do desperdício de alimentos à capacitação profissional – como meio de mudança para “gerar inclusão para aqueles que vivem à margem da sociedade”, explica Hertz.

O Prêmio Charles Bronfman é uma premiação anual de US$ 100.000,00, entregue a um indivíduo com menos cinquenta anos cujo trabalho humanitário, inovador, e orientado pelos valores judaicos, tenha contribuído significativamente para o mundo. O Prêmio foi fundado por Ellen Bronfman Hauptman e Stephen Bronfman, juntamente com Andrew Hauptman e Claudine Blondin Bronfman, para homenagear seu pai em seu 70º aniversário.

“Temos o privilégio de homenagear o David e contribuir para a ampliação do impacto do seu trabalho”, disse Ellen Bronfman Hauptman, em nome dos quatro fundadores. “Ele agora ocupa um lugar ao lado dos excepcionais nomeados pelo Prêmio, que contribuem para a solução de problemas urgentes com soluções inovadoras ao redor do mundo”

“É uma grande honra receber o Prêmio Charles Bronfman em 2019”, comemora Hertz. “Sinto-me responsável por representar os empreendedores sociais que estão promovendo valores judaicos para além de nossa comunidade, aumentando o conhecimento sobre como os alimentos e a Gastronomia Social podem abordar os desafios humanitários globais e transcender geografia, fronteiras político econômicas ou religião.

O trabalho de Hertz atende a uma necessidade crítica. Dois bilhões de pessoas no mundo sofrem de alguma forma de deficiência nutricional, e, “enquanto um terço dos alimentos é desperdiçado, 1 a cada 8 pessoas no mundo vivem em insegurança alimentar. Além da questão e garantia do acesso ao alimento, há também cerca de 200 milhões de trabalhadores desempregados no mundo”, observa Hertz. A Gastromotiva, fundada em 2006, “já graduou mais de 5.500 alunos e levou informação nutricional a mais de 100 mil crianças e seus familiares no Brasil, México, El Salvador e África do Sul.”

Durante os Jogos Olímpicos de 2016, Hertz fundou o Refettorio Gastromotiva, em colaboração com o chef italiano Massimo Bottura e a jornalista Alexandra Forbes, na Lapa, no Rio de Janeiro. Ali funciona uma cozinha-escola e um restaurante social que primam pelo não desperdício de alimentos. Diariamente, no Jantar Solidário, “um menu em 3 tempos balanceado é preparado por nossos cozinheiros, alunos e chefs convidados com ingredientes que seriam desperdiçados, apesar de estarem em perfeito estado para consumo.”, disse ele. Essas refeições são servidas à 90 pessoas em situação de vulnerabilidade social “em um espaço acolhedor que incentiva o diálogo e o companheirismo por voluntários que se inscrevem para serem os comensais e viverem essa experiência de servir por uma noite”.

Quem nomeou Hertz ao prêmio foi Devry Boughner Vorwerk, companheira da comunidade dos Young Global Leaders, do Fórum Econômico Mundial, parceira do Movimento da Gastronomia Social, ex-vice-presidente corporativa da Cargill, e CEO da DevryBV Sustainable Strategies, que escreveu: “David está transformando algo que poderia continuar sendo um esforço valioso, pontual e local em uma solução de impacto social escalável a partir de conexões para a formação de uma comunidade e um movimento global. Ele é um “agente de mudança”.

“Estou muito satisfeito que os juízes tenham escolhido David Hertz este ano”, Charles Bronfman declarou, “suas ações inovadoras para eliminar a fome promovendo a dignidade, terão um impacto global”. 

1+

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *