David Hertz inicia o projeto Cozinheiro Cidadão na favela do Jaguaré

2004 - David em Visita ao Jaguaré junto a Uridéia

Contar a história da Gastromotiva significa contar também o desenvolvimento de projetos anteriores a ela. Em 2004 o chef David Hertz começou um projeto chamado Cozinheiro Cidadão na favela do Jaguaré.

“ eu me lembro de um dia, a coordenação onde eu ficava era uma escadinha assim, aí David [Hertz] subiu a escada e falou “aí, tô pensando bem, tô gostando de dar aula…” sabe aquela inquietude de David né, que tem que estar mudando, inquietude, inquietação, não sei exatamente como fala, mas ele disse: “tá legal dar aula, mas, eu tenho muita vontade de fazer um projeto social, acho que eu vou sair para fazer isso”, daí nisso ele tinha começado um tal do “cozinheiro cidadão”, que ele tinha começado antes da Gastromotiva, aí ele falou “amanhã você vai na favela comigo, eu to fazendo um projeto lá, não sei o que e tal”.(…) Eu lembro que eu nunca tinha entrado em uma comunidade, aí a gente subiu o morro e chegando lá em cima tinha uma cozinha… parecia que eu podia estar em qualquer cozinha do mundo, o David e os alunos fizeram um almoço francês maravilhoso, a gente tava dentro da comunidade, foi uma das coisas mais loucas da minha vida assim… Foi maravilhoso, era o começo, era o início né, o “cozinheiro cidadão”

(Rosa Moraes, entrevista concedida ao Projeto Memória da Gastromotiva, Acervo Gastromotiva)