Panificação como terapia

Adriano faz parte da 6° turma do curso Empreenda: Faça e Venda em São Paulo. Ele chegou até a Gastromotiva depois de um curso de Gastronomia Social e uso integral dos alimentos de 3 dias, patrocinado pelo Santander, na Igreja Batista Palavra Viva. Desde esse dia, se apaixonou pela Gastromotiva, e fazer parte do Empreenda foi seu presente de aniversário: as aulas começaram justamente no mesmo dia em que ele comemorava mais um ano de vida.

Adriano viveu, dos 14 aos 38 anos, em situação de dependência química. E foi na casa de recuperação que ele descobriu sua paixão pela gastronomia. “Minha laborterapia foi toda a partir de aulas de panificação, e eu nunca mais parei de fazer pão!” Há 3 anos, ele tem um buffet, e o curso o ajudou a estruturar seu negócio.

Emocionado, Adriano lembrou outro motivo para procurar a Gastromotiva: seu desejo de trabalhar com assistência social. “Eu acredito e sei que somos capazes de salvar vidas. Conheço muita gente que se formou aqui e teve uma vida incrível, qual seria o futuro delas sem a Gastromotiva?”

1+

One thought on “Panificação como terapia

  1. Adriano Gambale says:

    O que posso falar se não somente agradecer. Vocês são demais. Quando conheci a Gastromotiva me identifiquei de uma forma sobre humana. O amor ao próximo, compromisso em entregar o melhor é o que me motivou a entregar o melhor de mim. Não sei o que o futuro me espera, mas hoje posso dizer: Vem que estou preparado! Quero muito poder devolver um pouco do que tenho aprendido, penso como ensinar as casas de recuperação e instituições de bairro a fazerem seus pães, podendo reverter em renda e alimentando as pessoas, sem contar na imensa labor-terapia para o indivíduo.Deus abençoe e ilumine o projeto, que os participadores enredam que investem no produto que mais valoriza GENTE! Parabéns por tudo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *